Salada Verde

Ricardo Salles não percebeu ainda que saiu dos gabinetes de Brasília 

Ex-ministro do Meio Ambiente demonstrou que perde votos, mas não consegue levar desaforo para casa

Juliana Arini·
25 de agosto de 2022·1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

“Isso deve ser obra da esquerda, comunista, marronzista e baderneira”, diria Odorico Paraguçu, o político fictício que representou muito bem o tradicional modo brasileiro de seguir nas eleições na novela “O Bem Amado”, exibida em 1973, pela Rede Globo.

Em plena largada de campanha, Ricardo Salles, ex-ministro do Meio Ambiente e atual candidato a deputado federal pelo partido liberal (PL/SP), já encenou em Franca, no interior de São Paulo, uma cena digna de Sucupira, a cidade de Odorico.

Porém, ao ouvir palavras como “Ecocída” e “Você é uma vergonha para o país.”, o ex-ministro, foi muito menos polido do que a ficção.

Desfazendo seu tradicional sorriso bem alinhado, Salles retrucou ao também candidato do PSOL, Guilherme Cortez, que busca uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo. “Bando de vagabundos, ladrões, idiotas e cretinos. Vai se catar”.

A troca de farpas aconteceu no sábado (20/8) durante o ápice do lançamento de uma campanha eleitoral, marcado pela prática (não muito ecológica) de distribuir santinhos. 

De papeletas em mãos, segurando uma bandeira nacional e vestindo uma camiseta verde e amarela, Salles provou na pele que a política real é bem diferente da encenada sob a proteção dos gabinetes de Brasília, onde está acostumado a habitar em uma forma Nutella de politicar.

Para ser candidato raiz é preciso abraçar o povo, comer pastel de rua, beijar (as pobres) criancinhas e se expor a um eleitorado ansioso para viver o único período do ano no qual é possível dizer esculachos aos poderosos ao vivo.

Pelo tom da descompostura Salles também parece não ter entendido ainda o significado do termo “pedir votos”. Algo que pode lhe custar muito caro.

Com processos correndo na Justiça do Pará, por ser acusado de exportar madeira ilegal da Amazônia, o ex-ministro esqueceu-se que não pode se dar ao luxo de perder essas eleições e ficar sem o cobiçado “foro privilegiado”.

Como diria Odorico, “vamos dar uma salva de palmas a esta figura trepidante e dinamitosa.”

  • Juliana Arini

    Repórter, fotógrafa e documentarista há duas décadas cobre a questão energética, a crise climática, o desmatamento e as queimadas.

Leia também

Notícias
21 de agosto de 2019

Entidades pedem que Ricardo Salles seja investigado por improbidade

Cerca de cinquenta organizações protocolaram documento junto à Procuradoria Geral da República para averiguação de atos de improbidade do ministro

Notícias
28 de janeiro de 2019

Procuradores pedem à Justiça que Ricardo Salles deixe de ser ministro

Ministro do Meio Ambiente foi condenado em primeira instância por improbidade administrativa após alterar plano de manejo de unidade de conservação

Notícias
20 de julho de 2021

Alexandre de Moraes envia investigação de Ricardo Salles para a Justiça do Pará

Ex-ministro é investigado por suposto envolvimento na facilitação de exportação ilegal de madeira. Decisão atende a pedido da Polícia Federal

Mais de entainpartners

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.