Notícias

Pelo menos 2400 lobistas do petróleo participam da Conferência do Clima deste ano

Número é recorde na história das COPs e aumenta apelo global para proteger negociações dos grandes poluidores

Cristiane Prizibisczki·
5 de dezembro de 2023

Levantamento realizado por uma coalizão internacional de organizações que lutam pelo fim dos combustíveis fósseis mostrou, nesta terça-feira (5), que o número de lobistas do petróleo que obtiveram acesso à Conferência do Clima da ONU deste ano é recorde: 2.456 pessoas.

A quantidade supera 98% das delegações dos países membros, sendo ultrapassada somente pelo país anfitrião, os Emirados Árabes, que enviaram 4.409 pessoas, e pelo Brasil, que vai sediar a COP de 2025 e mandou, até o momento, 3081 pessoas..

Olevantamento foi feito pela coalizão Kick Big Polluters Out (KBPO), formada por cerca de 450 organizações de todo o mundo.

“Este aumento coincide com uma COP onde os combustíveis fósseis e sua eliminação progressiva são um ponto focal. Também eleva o apelo crescente dos países do sul global, dos membros da ONU e da sociedade civil em geral para expulsar poluidores das negociações”, disse a organização.

O relatório também pontuou alguns dados importantes:

– Os lobistas do petróleo receberam mais passes para a COP 28 do que todos os delegados, somados, dos dez países mais vulneráveis (1.509 pessoas), demonstrando como a presença da indústria petrolífera está se sobrepondo àqueles que sofrem mais diretamente os impactos das mudanças climáticas.

– Nove entre dez lobistas vêm no Norte Global. A maior parte deles conseguiu seus passes por meio de associações do setor. A maior delas é a International Emissions Trade Association (IETA), que trouxe 116 pessoas, incluindo representantes de grandes empresas emissoras, como Shell, TotalEnergies e a norueguesa Equinor.

– O número de lobistas do petróleo é sete vezes maior do que  o número oficial de representantes indígenas.

– França trouxe representantes de grandes empresas poluidoras, como a TotalEnergies, como parte de sua delegação oficial, e a União Europeia trouxe funcionários de empresas como ExxonMobil.

No ano passado, durante a COP 27, os lobistas do petróleo eram 636. No ano anterior, na COP 26, em Glasgow, eles eram 503.

Muitas organizações ao redor do globo comentaram os resultados do levantamento. Alexia Leclercq, da Star:Empowerment, disse:

“Voces realmente acham que a Shell ou a Chevron ou ExxonMobil estão mandando seus lobistas para passivamente observar as negociações. Para avançar em soluções climáticas para o benefício de comunidades cujo ar e a água estão poluídos. Para colocar as pessoas e o planeta acima de seus lucros. A presença envenenada dos grandes poluidores nos impediu, por anos, de avançar nos caminhos necessários para manter os combustíveis fósseis abaixo do solo. Eles são a razão pela qual a COP 28 está envolta numa nuvem de negação climática, não na realidade do clima.” 

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Reportagens
2 de dezembro de 2023

Na Cúpula do Clima, Lula confirma entrada do Brasil na OPEP+

Sociedade civil chama de "escárnio" o anúncio, feito durante evento que busca acordo global de eliminação dos combustíveis fósseis, causadores da mudança no clima

Reportagens
12 de setembro de 2023

Zerar subsídio a fósseis é urgente para atingir metas de Paris, diz relatório da ONU

Primeiro balanço global do combate à crise climática destaca a desproporção entre investimentos em ação climática e na indústria de óleo, gás e carvão

Notícias
23 de agosto de 2023

G20 investiu 1,4 trilhão de dólares em combustíveis fósseis em 2022

Se países mais ricos do mundo taxassem corretamente o setor de carvão, petróleo e gás, ao invés de investir nele, retorno seria dobrado, diz estudo

Mais de Roda Super Sortuda

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.