Notícias

Justiça estadual suspende licenças para obras em áreas úmidas em Mato Grosso 

O estado tem até 120 dias para melhorar regramento, identificar e consolidar uma base de dados sobre esses frágeis ecossistemas

Aldem Bourscheit·
4 de outubro de 2023

Uma liminar da Justiça Estadual paralisou todos os licenciamentos tramitando para obras e outras atividades em áreas úmidas no estado de Mato Grosso. Os processos eram amparados numa resolução editada ano passado pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema).

Aliminar atendeu a pedido do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) e também suspendeu efeitos de uma lei estadual de 2008 que incidia nas planícies pantaneiras dos rios Araguaia e do Guaporé e outras áreas úmidas verificadas com Cadastro Ambiental Rural (CAR) ou licenciamentos. 

A Justiça fixou 120 dias para que Mato Grosso identifique suas áreas úmidas, consolide uma base de dados para o CAR e licenças ambientais e construa um “regramento protetivo” para esses ecossistemas. Descumprir as ordens judiciais custará R$ 10 mil diários ao estado. 

A determinação traz igualmente que donos ou posseiros de imóveis em áreas úmidas sejam notificados para atender sobretudo ao artigo 9º da Lei Estadual 8.830/2008, que restringe atividades danosas na planície alagável da Bacia do Alto Rio Paraguai.

Conforme o MPMT, as leis, resoluções e outras normas até então vigorando no Mato Grosso enfraqueceram a proteção de suas áreas úmidas, “permitindo o exercício e a manutenção de atividades absolutamente danosas que colocam referido ecossistema em risco de degradação e extinção”. 

“[Isso] possibilitou a instalação de atividades incompatíveis com este ambiente ecologicamente frágil, causando graves impactos ambientais (…) por (…) desmatamento, abertura de canais de drenagem (…), aterramento de nascentes e veredas”, afirmou a promotora Ana Luíza Ávila Peterlini.

  • Aldem Bourscheit

    Jornalista cobrindo histórias sobre Conservação da Natureza, Crimes contra a Vida Selvagem, Ciência, Comunidades Indígenas e ...

Leia também

Reportagens
14 de março de 2023

Ministério Público entra com ação contra MT por drenagem de áreas úmidas

Resolução aprovada no ano passado libera a drenagem de área úmida que ocorre em 1,5 milhão de hectares do estado. Órgão denuncia ilegalidades e pede anulação de norma

Reportagens
2 de fevereiro de 2023

Como norma que beneficia agropecuária ameaça áreas úmidas em Mato Grosso

Para fins agrícolas, resolução permite drenagem de plintossolos háplicos, área úmida que ocorre em 1,5 milhão de hectares do estado. Norma ainda libera atividades de médio nível poluidor

Notícias
11 de outubro de 2022

Mato Grosso regulamenta drenagem em áreas úmidas

Norma, que beneficia a agropecuária, é questionada por especialistas e ambientalistas. Ministério Público elabora nota técnica para rebater proposta

Mais de jogatina

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.