Notícias

Consumo de plástico em delivery de comida aumentou 46%, aponta estudo

Em 2021, o setor consumiu mais de 25 mil toneladas de plástico, o equivalente a 68 toneladas por dia. Aumento foi alavancado por mudanças de hábito com a pandemia

Duda Menegassi·
28 de julho de 2022·1 anos atrás

O consumo de plásticos descartáveis em pedidos de entrega de comida – o tal do “delivery” – aumentou 46% de 2019 para 2021, um salto de 17,16 mil toneladas para 25,13 mil toneladas. Peso equivalente a cerca de 170 baleias azuis, maior animal do mundo. Os dados foram divulgados no estudo “O mercado de delivery de refeições e a poluição plástica”, encomendado pela ONG Oceana. Esse crescimento reflete o impacto da pandemia na mudança de hábitos de consumo, devido ao isolamento social e às restrições.

Apenas em 2021, o total de lixo plástico gerado por serviços de entrega de comida foi de 68 toneladas por dia ou 2,8 toneladas por hora.

De acordo com o levantamento, feito pela consultoria econômica Ex Ante, os setores de alimentação para viagem e hotelaria demandaram um total de 154,1 mil toneladas de embalagens por ano entre 2018 e 2021, e seis mil toneladas por ano de canudos, copos, pratos e talheres de plástico para este mesmo período.

“Concebidos para consumo e descarte imediato, esses itens geram grande quantidade de resíduos não recicláveis e não biodegradáveis. Nesse sentido, o que hoje pode parecer barato para o consumidor deixa um legado negativo para o futuro, com custos ambientais e de gestão que serão pagos por toda a sociedade. Mesmo que a redução dos pedidos de refeições esteja ocorrendo, sabemos que as empresas estão investindo em outras entregas, que também envolvem muito plástico – precisam aprender com o que houve e oferecer ao consumidor alternativas ao plástico”, aponta o diretor-geral da Oceana no Brasil, o oceanólogo Ademilson Zamboni.

Em resposta ao problema da poluição plástica, em dezembro de 2020, a Oceana e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) lançaram a campanha #DeLivreDePlástico, para pressionar as empresas de aplicativos de entrega a se comprometerem com a redução do uso de plástico descartável em suas operações. Em agosto de 2021, o gigante do setor, iFood, posicionou-se em favor do compromisso, mas ainda não anunciou metas concretas – previsto para o segundo semestre de 2022.

“Essas empresas ocupam papel central na cadeia que liga a produção da indústria de plástico tanto ao setor de alimentação quanto ao consumidor e, consequentemente, com o problema final da poluição. Estamos falando de talheres, sachês, embalagens de isopor e sacolas – produtos que são concebidos para serem utilizados apenas uma vez e se tornarem lixo. Sem interesse para o mercado de reciclagem, esses produtos se tornam rejeito, custo e poluição”, destaca a gerente de campanhas da Oceana no Brasil, a engenheira ambiental Lara Iwanicki.

Atualmente, a produção de plástico de uso único no Brasil é de 2,95 milhões de toneladas por ano. A grande maioria, 87%, corresponde a embalagens. 

Leia o relatório na íntegra

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Notícias
27 de junho de 2022

Aquaman, poluição plástica e emergência oceânica: o 1º dia da Conferência dos Oceanos

PG slots realizará a cobertura direto do evento, que ocorre em Portugal, para trazer os destaques diários da conferência, que começou nesta segunda-feira (27) e vai até o dia 1º de julho

Salada Verde
28 de março de 2022

Campanha “Pacto 2050”, contra o lixo no mar, busca apoiadores

Alinhado ao tratado internacional da ONU de redução de plástico, projeto lança campanha de limpeza de praia e busca adesão de empresários e ONGs

Notícias
30 de junho de 2022

40% dos brasileiros não entendem como impactam os oceanos, revela pesquisa

O estudo inédito, divulgado no 4º dia da Conferência dos Oceanos, aponta que apenas 34% dos brasileiros compreendem que suas ações influenciam diretamente o oceano

Mais de PG slots

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.