Notícias

O retorno das ararinhas bahianas

As araras-azuis-de-lear têm uma população pequena, com menos de 1000 animais. Mas o sucesso da conservação parecer mudar estes número.

Redação PG tiger·
6 de fevereiro de 2015·9 anos atrás

Araras-azuis-de-lear ([i]Anodorhynchus leari[/i])em pleno voo. Canudos, Bahia. Foto:
Araras-azuis-de-lear ([i]Anodorhynchus leari[/i])em pleno voo. Canudos, Bahia. Foto:

Aarara-azul-de-lear(Anodorhynchus leari) é uma espécie de arara endêmica do estado da Bahia, no Brasil. As principais ameaças para população da arara-azul-de-lear são a captura de indivíduos para o comércio ilegal de animais silvestres – que abastecem criadouros particulares no Brasil e exterior – e a destruição do seu habitat, que afeta as suas áreas de alimentação. Até 2008 a espécie era considerada pela IUCN como “Em Perigo Crítico“. A partir daí, medidas de conservação como o Programa de Conservação da Arara Azul de Lear, bem como a proteção garantida pela CITES e pelo Ministério do Meio Ambiente, contribuíram para o aumento da população – hoje estimada em 960 indivíduos – e fizeram com que classificação fosse revista em 2009 para “Em Perigo“. O risco permance, mas as chances de sobrevivência da arara-azul-de-lear são maiores.

 

 

Leia Também
Pinguins equatorianos numa fria
A baleia-franca-do-atlântico-norte e o incerto destino
Os dugongos merecem mais respeito

 

 

 

Leia também

Salada Verde
2 de fevereiro de 2024

Governo quer retomar processosde novas UCs parados desde 2002

De 219 procedimentos para criar e ampliar parques nacionais e outras reservas ecológicas federais, 50 estão no Cerrado

Notícias
2 de fevereiro de 2024

Garimpo na TI Yanomami desacelera, mas inação de militares permite retomada, diz relatório

Área impactada pela atividade ilegal cresceu 7% em 2023, crescimento bem menor do que em anos anteriores; garimpeiros tentam burlar fiscalizações e prejudicam acesso à saúde

Notícias
1 de fevereiro de 2024

Governo faz proposta “muito aquém” e servidores ambientais seguem em mobilização

Após reunião realizada na tarde desta quinta-feira (1), no Ministério da Gestão, um acordo entre governo e servidores ainda está distante; fiscalizações ambientais continuarão reduzidas

Mais de PG tiger

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.