Salada Verde

Coronel Homero Cerqueira deixa presidência do ICMBio

A saída do presidente – a ser confirmada no Diário Oficial – estaria ligada à divergências com o ministro do meio ambiente, Ricardo Salles

Daniele Bragança·Duda Menegassi·
20 de agosto de 2020·3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Presidente do ICMBio pediu demissão do cargo. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Ag. Brasil.

O presidente do ICMBio, coronel Homero Cerqueira, pediu exoneração do cargo nesta quinta-feira (20). A decisão deverá ser confirmada pela edição desta sexta-feira (21) do Diário Oficial da União. Cerqueira estava no cargo desde abril de 2019. 

Segundo informações apuradas por betfair, ainda não confirmadas com o principal personagem do episódio, o próprio Homero, Salles teria desautorizado equipes do ICMBio em sua visita ao Pantanal, o que teria gerado descontentamento de Homero. Essa versão foi confirmada por duas fontes. 

Não é a primeira vez que Salles desautoriza presidentes do ICMBio em viagens e o constrangimento termina com pedidos de demissão.

Adalberto Eberhard, quem ocupava a presidência antes de Homero, também deixou o cargo dois dias após uma ida de Salles ao Parque Nacional Lagoa do Peixe, no qual o ministro ameaçou servidores do órgão. Eberhard alegou motivos pessoais para sua saída e a história foi pauta de reportagem de betfair à época.

Na atual viagem, acompanhado de ruralistas, Salles se encontrou com pecuaristas da região e ouviu reclamações sobre ONGs e sobre a Reserva do Sesc, uma unidade de conservação privada, que já teve 47 mil hectares queimados durante os recentes incêndios que têm devastado o bioma.

Leia Também 

Após ministro ameaçar servidores, presidente do ICMBio pede demissão

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site betfair, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Reportagens
15 de abril de 2019

Após ministro ameaçar servidores, presidente do ICMBio pede demissão

Alegando motivação pessoal, Adalberto Eberhard pediu demissão dois dias após participar de evento no Parque Nacional Lagoa do Peixe com Ricardo Salles

Análises
2 de fevereiro de 2024

Retorno da fiscalização ajuda a entender redução do desmatamento na Amazônia

Trabalho dos fiscais ambientais do IBAMA em priorizar áreas críticas ajuda a entender como o desmatamento caiu de 2022 para 2023; Mudança de governo foi fundamental para alcançar resultado

Salada Verde
2 de fevereiro de 2024

Comunidades do nordeste propõem 100 medidas para reduzir impactos de eólicas na região

Documento do Plano Nordeste Potência reúne os impactos da transição energética no cotidiano das populações afetadas na região e aponta soluções

Mais de betfair

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários5

  1. Cácio de Araújodiz:

    Com todo o respeito aos Pantaneiros, mas o depoimento do cidadão acusando as ONGs, está fora do contesto, ele deve enumerar o número de ONGs que atuam no Pantanal. Na verdade sobreviveram poucos pantaneiros, o tempo da vaca gorda passou, a fonte secou, e mais um daqueles que pegavam empréstimos no Banco do Brasil, e desvia para comprar """C10""" o carro da época, e na hora de pagar o empréstimo recorriam ao PROTERRA/PROAGRO e não pagavam o empréstimo. Ele esquece que o PANTANAL está sofrendo as consequências das ações de degradação que o seu entorno vem sofrendo, uma delas é o desmatamento das nascentes das bacias hidrográfica que alimenta a Bacia Pantaneira. Inclusive a DEVASTAÇÃO DA AMAZÔNIA, que na gestão desse SINISTRO DO MEIO AMBIENTE (SALLES) vem aumentando assustadoramente.
    Obs. PROAGRO é um seguro que o BB possui para auxiliar os PRUDUTORES RURAIS no caso de sinistros provocados pelos fenômenos naturais, como o Pantanal tem enchente todos os anos, eles pegavam o empréstimos já sabendo que não iam pagar….Agora acusar ONGs das queimadas no PANTANAL é no mínimo de uma responsabilidade sem tamanho….
    O TURISMO é a única saída sustentável para o PANTANAL, uma diária que um turista estrangeiro paga, equivale a 3 ou 4 novilha que o produtor levaria 01 (hum) ano para vender…..


  2. Warnerdiz:

    Então o produtor disse ao sinistro que a natureza é um problema, porque queima. Por isso, tem que tirar a floresta e colocar o gado. Entendi.


  3. Paulodiz:

    Mais uma M…. do $alle$$$$$$.


  4. Paulo Maierdiz:

    O discurso demonstra um sotaque "tipicamente" pantaneiro. Rá. Rá. Rá.